Subscribe to SEGUROS Subscribe to SEGUROS's comments

Archive for the ‘Seguro Automóvel’ category

Fonte: Folha de SP

O valor do seguro de um mesmo carro varia até 112% na cidade de São Paulo conforme o perfil de risco do cliente. É o que mostra levantamento com as 16 principais seguradoras do mercado feito para a Folha pela corretora Brasil Insurance.

De acordo com o estudo, o perfil avaliado como de menor risco pelas empresas –e que paga menos pelo seguro– é o da mulher casada, com mais de 30 anos, habilitada há mais de três anos, que não trabalha nem divide o carro com jovens até 25 anos e que tem garagem em casa.

Entre todos os fatores, a idade é o que mais influencia o preço do seguro, diz Cláudio Royo, da Brasil Insurance. “O jovem até 25 anos usa mais o carro, pois vai a faculdade, academia, balada, o que expõe mais o veículo a roubo.”

Ney Dias, diretor-geral do Itaú Seguros de Auto e Residência, diz que o jovem de 18 anos tem oito vezes mais chances de se envolver em um acidente do que o de 25.
“As colisões de homens nessa faixa também costumam ser mais violentas do que as de mulheres.”

Um casal com filhos nessa faixa etária também vai pagar mais caro pela apólice, porque as seguradoras entendem que há mais risco mesmo que o jovem só use o carro no fim de semana.

Os solteiros pagam até 5% mais do que os casados –e os divorciados, 1,5% mais. “As seguradoras entendem que solteiros e divorciados saem mais à noite e viajam mais que casados –que, por sua vez, tendem a ser mais prudentes ao volante pela preocupação com a família.”

OUTROS FATORES

O preço da apólice também pode subir conforme a localização da residência ou do trabalho do segurado.

O estudo da Brasil Insurance mostra que um jovem de 25 anos solteiro da zona leste da capital paga 21% mais pelo seguro do que um que mora na região central. “Áreas sem um policiamento forte e com menos estacionamento disponível têm seguro mais caro”, diz Dias, do Itaú.

“Isso também ocorre com regiões próximas à saída da cidade, nas quais o ladrão tem como escoar rapidamente o veículo roubado.”

Não ter garagem em casa eleva o valor em até 8% e a falta de estacionamento no trabalho, em até 12%. Abrir mão do alarme deixa o seguro até 7% mais caro.

MOVIMENTAÇÃO

A profissão também pode afetar o preço, afirma Jabis Alexandre, diretor de Automóvel do Grupo BB-Mapfre. “Um médico se desloca mais do que alguém que trabalha em horário comercial e deixa o veículo estacionado no escritório, por isso paga mais.”

Atualizar sempre as informações cadastrais –como endereço e estado civil– é importante para aproveitar preços menores, segundo os especialistas.

Fonte: O Estado de Minas

Veículo roubado, dor de cabeça na certa. Mas, nesse caso, o bolso também sofre. E não só o de quem foi vítima. Quando o assunto é o mercado de seguros, quanto mais altos os índices dessa modalidade de crime, maior é o preço que se paga para ter uma proteção. Os números são acompanhados de perto pelas seguradoras. Levantamento da Federação Nacional de Seguros Gerais (Fenseg) obtido com a Secretaria de Estado de Defesa Social mostra que houve 10.884 veículos furtados ou roubados em Minas Gerais nos cinco primeiros meses deste ano. O número é 11,5% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Na comparação de 2012 com 2011, o aumento foi de 16%.

O diretor-executivo da Fenseg, Neival Freitas, explica que a alta desses crimes no período foi de 30% e, com as colisões, roubo e furto respondem pelos dois grandes tipos de indenização aos segurados. Ele conta que até 2010 os preços das apólices estavam controlados, por causa da redução desses tipos de crimes, cenário que mudou a partir de 2011. “O aumento de roubos e furtos tem efeito perverso porque provoca aumento direto no seguro. Esse dado é um referencial. À medida que há variação constante desses índices, há como aumentar ou diminuir os preços”, relata, diz.

Em todo o país, foram registrados, de janeiro a maio, 191 mil roubos de veículos, sendo que apenas 436 mil foram recuperados. Em Minas, dos 1.964 veículos levados pelos bandidos no mês passado, somente 41% foram reavidos (816). “Quando o veículo segurado é recuperado antes de a seguradora efetuar a indenização, não gera efeito no preço”, explica Freitas.

De acordo com a Superintendência de Seguros Privados (Susep), de janeiro de 2012 ao mesmo período deste ano, as contratações de seguros para veículos em Minas Gerais movimentaram cerca de R$ 11 bilhões. No período, R$ 3 bilhões foram gastos para reembolsar segurados que tiveram carros roubados. Corretor de seguros há 15 anos, Leonardo Horta, de 35, entende bem o significado dessas cifras. Ele conta que 90% dos clientes que procuram as seguradoras o fazem motivados pelo medo ter o veículo levado por bandidos. “O roubo é o ‘galã’ dos sinistros. As colisões ficam em segundo lugar”, afirma.

A alta nos índices do crime se reflete no mercado e, mais precisamente, no bolso dos motoristas. Quem já passou pela experiência de ter o carro roubado ou furtado sente as consequências no ato da renovação do seguro. Horta explica que, nesses casos, o segurado perde a bonificação e, assim, deverá arcar com um valor mais caro que o pago anteriormente. O corretor calcula que a procura pelo serviço aumentou cerca de 10% desde o ano passado. Já o preço teve reajuste de 10% a 15%. Quem já foi vítima dos criminosos paga uma conta ainda maior. E se o veículo está entre os modelos preferidos dos ladrões, o valor sobe. “Nesses casos, de cada 10 carros, seis são roubados, então as seguradoras consideram que o risco é alto”, diz Horta.

Fonte: Tribuna da Bahia

Enquanto muitos motoristas têm o costume de tratar seus carros como um serviçal, o ideal seria pensar mais nele como um parceiro. Tratar o automóvel com carinho e atenção pode gerar muitos quilômetros extras e um consumo menor de combustível, melhorando o ar no meio ambiente e poupando alguns trocados ao motorista. No fim das contas, cuide bem do seu carro que ele cuidará bem de você. Para isso, conheça 10 dicas simples e úteis que devem prolongar a vida do seu carro e diminuir os custos de consumo e manutenção.

1) Óleo do motor

O óleo do motor refrigera, limpa e lubrifica o coração do automóvel. O ideal é checar o manual do carro pois cada veiculo possui uma especificação. Também é bom ficar de olho no adesivo colado no para-brisa que tem a próxima data onde deverá ser feita a troca, além de ficar atento ao mostrador do painel. Lembre-se de recorrer a uma autorizada para realizar a operação.

2) Pressão adequada aos pneus

Andar com as pressões no ponto certo dos pneus diminui significativamente o consumo de combustível e impede o superaquecimento, que gera desgaste precoce e riscos de acidentes. Para quem tem dúvida, a pressão adequada vem gravada no manual, na porta do carro e na lateral de cada pneu, variando conforme o modelo e o peso que o veículo carrega.

3) Manutenção de componentes do motor

Não trocar as velas, filtros de ar, de óleo e de combustível e até o carburador no período recomendado resulta num consumo até 25% maior além de desgaste excessivo. Estes componentes do carro trabalham em conjunto e sofrem com combustíveis de baixa qualidade. Em média, a troca das velas deve ser realizada a cada 20 mil quilômetros, o filtro de ar a cada 15 mil, o de combustível a cada 10 mil quilômetros e filtro de óleo deve ser trocado junto com o óleo do motor. O carburador pode durar até 80 mil quilômetros, em média.

4) Deixar de fazer alinhamento e balanceamento

Procedimentos que devem ser realizados a cada 10.000 quilômetros, ou após trocas de pneus ou outros componentes, assim como também em caso de batida nas rodas, longos trechos de trepidações e outras intempéries. O procedimento previne que desgaste irregular dos pneus ocorra, assim como aumenta a segurança dos passageiros. As rodas “cantando” a baixas velocidades ou direção imprecisa ou vibrando são fortes indícios de que está na hora de alinhar e balancear o automóvel.

5) Deixar de usar peças originais na reposição

O uso de peças genéricas na reposição ao invés de originais pode gerar problemas mecânicos e acidentes, além da possível perda de garantia. As peças legítimas passam por rigorosos testes de qualidade, enquanto às paralelas podem danificar o automóvel. Vale ressaltar que o mecânico que instalar, sem consentimento do proprietário do veículo, produtos de qualidade inferior, assim como piratas ou recondicionados, pode responder judicialmente em uma possível eventualidade.

6) Transitar com o giro do motor em níveis inadequados

Dirigir o veículo com o giro muito alto, ultrapassando a marca vermelha do conta-giros, ou muito baixo, como 40 km/h em quarta ou quinta marcha, pode causar desgaste prematuro e até possível quebra do motor e da transmissão. O recomendado é evitar tais situações, limitando a utiliza-las apenas eventualmente, como em ultrapassagens, no caso do giro alto.

7) Dirigir com o motor super aquecido

Quando o termômetro acusa superaquecimento, o ideal é parar em local seguro, abrir a tampa do capô, esperar o carro esfriar completamente e verificar o reservatório de água. Caso o volume estiver abaixo do nível recomendado pelo indicador no próprio reservatório, basta completar com água normal. Mas atenção: tal procedimento deve ser realizado com muito cuidado, pois o reservatório de água pode conter vapores em alta pressão e causar queimaduras graves. O ideal é conferir o nível semanalmente ou antes de viajar, evitando chegar a esse ponto crítico.

8) Manter o carro limpo

Manter o veículo limpo, por dentro e por fora, é mais do que uma questão estética. A limpeza do interior evita o acúmulo de substâncias nocivas à saúde, como ácaros e fungos, que podem causar crises de alergia. Caso o carro fique sujo do lado de fora, a pintura é comprometida e pode apresentar manchas, assim como outros componentes do exterior.

9) Manter o pé sobre a embreagem

Dirigir deixando o pé na embreagem é o suficiente para evitar o engate completo. O conjunto da embreagem funciona via fricção, manter o pé sobre o pedal esquerdo mantém o engate desacoplado. A embreagem sofre com esse atrito, levando ao desgaste prematuro e até quebra.

10) Mão sobre o câmbio durante a condução

Um erro comum e aparentemente inofensivo, manter a mão sobre a alavanca de câmbio não é uma boa idéia. Ela está diretamente conectada à caixa de marchas e a menor pressão é transmitida ao seletor. Com o tempo, a troca de marchas começa a apresentar barulhos, além de menor durabilidade. O uso deve ser restrito, assim como o pedal de embreagem, apenas às trocas de marchas.

Fonte: Bradesco Seguros

O site do Circuito da Longevidade Bradesco Seguros (www.corridadalongevidade.com.br) está com um novo visual. Mais dinâmico e interativo, ele traz conteúdo interessante, como informações completas e fotos de cada etapa, dados para quem tem interesse em corrida e caminhada, explicações sobre a avaliação física oferecida gratuitamente aos participantes do evento, videodicas do coordenador técnico do Circuito e preparador físico, Lauter Nogueira, notícias publicadas na imprensa, entre outros assuntos.

Quem realizou a avaliação física no local das provas, também pode acessar o resultado no site. Para isso, basta informar o CPF na área “Histórico de Avaliação Física”. Já em “Questionário de Qualidade de Vida”, as pessoas podem preencher um questionário sobre seus hábitos cotidianos (alimentação, exercício físico etc) – uma boa oportunidade para a reflexão sobre hábitos saudáveis.

Com início em 2007, o Circuito da Longevidade Bradesco Seguros tem como objetivo disseminar a prática da atividade física como um dos pilares que possibilitam alcançar a longevidade com saúde e bem-estar. O evento de corrida e caminhada de rua tem etapas em todo o país e reuniu, até o momento, cerca de 234 mil participantes. A próxima etapa será em 23 de junho, na cidade de Campinas (SP).

Circuito da Longevidade Bradesco Seguros

www.corridadalongevidade.com.br

Fonte: Cia da Informação

A Zurich Seguros, multinacional suíça presente no Brasil há mais de 40 anos, lança nesta quarta-feira (12/6), no intervalo da novela Amor à Vida, da Rede Globo, a etapa 2013 de sua campanha publicitária de marca. Voltada ao consumidor final, a ação conta com filmes para TV, spots para o rádio, além de anúncios em revistas e internet. O foco principal da campanha é mostrar, com muito bom humor, o quanto a Zurich está próxima e entende as necessidades de seus segurados.

Desenvolvida pela Grey141, com produção da Paranoid, a linha criativa da campanha segue com o conceito utilizado em 2011 quando, pela primeira vez, a Zurich Seguros promoveu forte exposição de marca nos principais veículos de massa do Brasil. “Nos dois últimos anos tivemos grandes avanços por aqui: agora somos uma seguradora mais conhecida e competitiva, desenvolvemos novos produtos e estamos presentes nos quatro cantos do país. De lá para cá lançamos a campanha publicitária, usamos algumas nuances de humor e nos envolvemos com uma grande paixão nacional, o futebol. Os resultados foram incríveis e decidimos que valia seguir pelo mesmo caminho”, destaca Ivan Ferrando, Chief Marketing Officer da Zurich na América Latina.

Jeane Costa, head de Marketing da companhia no Brasil, ressalta que a ideia é mostrar que a Zurich Seguros está ao lado de seus clientes nos momentos em que eles mais precisam. “Continuaremos com peças na linha do humor, onde buscamos identificação com nossos públicos, aumentando assim a lembrança de marca. Além disso, especialmente nas peças impressas, seguiremos destacando nossos principais diferenciais.” Ela também conta que os filmes devem ser exibidos nas principais emissoras de TV aberta do Brasil durante o 2º semestre de 2013. As peças publicitárias serão veiculadas nas revistas de grande circulação e em publicações específicas do trade de seguros no mesmo período. Haverá ainda divulgação na internet, meio que cada vez mais cresce no Brasil. A novidade deste ano é que haverá investimento também em mídia externa com outdoors e painéis em outras regiões do país, além da sequência da estratégia de divulgação de marca nos metrôs de São Paulo.

Confira o novo comercial no site www.zurichseguros.com.br ao final da novela Amor à Vida.

Fonte: Julia Carvalho & Exame.com

Saiu no dia 06 de junho na internet o ranking feito pela revista Exame das empresas que possuem melhor reputação no Brasil. A Porto Seguro está entre as 100 companhias listadas na 10ª posição dentro do setor de serviços financeiros. Segundo a pesquisa, a seguradora fechou 2012 com lucro líquido de cerca de R$ 680 milhões e, com seus 13 mil funcionários diretos, também ficou em 75º lugar entre as mais responsáveis e com melhor governança corporativa.

Fonte: G1

Segundo universidade, sistemas de interatividade ‘roubam’ concentração.

Motoristas se esquecem de retrovisores e não reagem às sinalizações.

Estudo realizado nos Estados Unidos pela Universidade de Utah, encomendado pela American Automobile Association (AAA), aponta que sistemas de interatividade para carros conhecidos como “hands free” ou “mãos livres” são mais perigosos do que simplesmente falar ao celular enquanto dirige. Estes recursos consistem em botões mais acessíveis e comandos em viva-voz para telefonar e mandar mensagens de dentro do carro, entre outras atividades. O resultado da pesquisa foi divulgado nesta quarta-feira (12).

Os sistemas são muito utilizados pelas montadoras para atrair o público mais jovem, imerso no mundo de redes sociais e aplicativos de smartphones. De acordo com as fabricantes, os dispositivos “hands free” são mais seguros, porque os motoristas conseguem manter as mãos no volante e os olhos na estrada.

As pessoas não estão enxergando o que elas precisam ver para dirigir. Essa é a parte mais assustadora para mim”

No entanto, a pesquisa da associação automotiva americana mostra que a concentração para comandar o sistema por voz exige muito mais a atenção do motorista. Tal distração é definida pelos pesquisadores como “visão de túnel” ou “cegueira de desatenção”. Isso porque a primeira reação dos condutores é se esquecer de olhar pelos espelhos retrovisores e prestar atenção aos detalhes do que vê na frente, seja a luz de freio de um carro ou pedestres.

“As pessoas não estão enxergando o que elas precisam ver para dirigir. Essa é a parte mais assustadora para mim”, afirmou o presidente e CEO da fundação AAA, Robert L. Darbelnet, sobre o resultado da pesquisa.

Existem cerca de 9 milhões de carros e caminhões nos Estados Unidos em circulação com sistemas de informação e entretenimento. De acordo com a entidade, esse volume vai saltar para 62 milhões de veículos até 2018. A associação ressalta ainda que as pessoas se consideram seguras ao falar pelos sistemas de viva-voz, assim, mantêm o hábito.

“Nós acreditamos que há uma crise de segurança pública iminente”, disse. “Esperamos que este estudo vá mudar alguns conceitos errados, amplamente defendidos pelos motoristas”, alerta o representante da entidade.

Metodologia

O estudo foi aplicado pela equipe do especialista Dr. David Strayer, da Universidade de Utah. Foram medidas ondas cerebrais, além de movimentos oculares e outras reações para avaliar o que acontece com a carga de trabalho mental dos motoristas quando eles tentam fazer várias coisas ao mesmo tempo, tomando como base décadas de pesquisa das indústrias aeroespacial e automobilística.

Ao todo, 32 estudantes universitários dirigiram enquanto executavam uma série de tarefas secundárias, que vão desde ouvir música a enviar e-mails e SMS. Câmeras foram montadas dentro do carro para acompanhar os movimentos da cabeça e dos olhos dos motoristas. Outro dispositivo permitiu gravar o tempo de reação a luzes vermelhas e verdes introduzidas no campo de visão dos condutores.

Fonte: Cenario.MT.com

Especialistas afirmam que mais barato nem sempre é mais indicado; custo benefício é o que importa

Com o aumento na venda de veículos no Brasil nos últimos anos, cada vez mais consumidores estão se deparando com o momento difícil de escolher um seguro para o carro. A primeira atitude a ser tomada no caso de contratar qualquer serviço é pesquisar as melhores ofertas e empresas.

Segundo especialistas, a questão não é buscar o mais barato e sim o melhor custo benefício.

“Um erro comum que as pessoas cometem é escolher pelo mais barato e não pela melhor qualidade. O interessante para decidir o plano é buscar aquilo que é interessante para cada indivíduo”, explica Ney Dias, Diretor Geral do Itaú Residência e Auto.

Para Mario Cavalcanti, Superintendente de Desenvolvimento de Produtos da Liberty Seguros, inicialmente a pessoa deve saber o quanto pretende e pode gastar, já que esse é um produto bem flexível. “A partir dessa decisão o cliente pode buscar aquilo que mais se adequa ao seu perfil, uma cobertura completa ou uma básica que só inclua responsabilidade civil e assistência.”

A Allianz Seguros explica que o valor do seguro é resultado de um cálculo que leva em conta as coberturas contratadas, o perfil de risco do segurado – baseado em informações pessoais fornecidas – e as estatísticas de sinistro da seguradora, quanto maior o risco mais alto é o valor a ser pago pelo segurado.

Ney Dias alerta para dois pontos importantes que não são muito lembrados pelos contratantes. “Pouca gente presta atenção para a cobertura de APP (acidentes pessoais de passageiros) e RCF (Responsabilidade Civil Facultativa de Veículo). O primeiro garante verba para no caso de despesas dos demais ocupantes que podem se ferir em um acidente, o segundo cobre os danos corporais e materiais causados para terceiros.”

Ele explica quando a pessoa contrata o mínimo do RCF, que é cobertura de 50 mil, no caso da Itaú, ela não se preocupa com o caso de uma indenização para a família da pessoa envolvida no acidente, que pode chegar até três vezes o valor de um carro.

Nas grandes cidades, como o risco de roubo é maior, uma opção para baratear o custo do contrato é instalar um rastreador. “Todas as seguradoras tem uma avaliação em cada seguro, em muitos casos a instalação do rastreador é considerada uma condição para fechar o contrato. Em outros, as empresas oferecem essa condição para baratear o custo geral”, conta Cavalcanti.

Os dois especialistas concordam. Para conseguir contratar o melhor seguro para o seu perfil, e o do seu carro, a principal estratégia é conversar muito com o seu corretor. Ele analisa os riscos da sua cidade, do seu carro e das suas possibilidades, e apresenta as ofertas. “No entanto o consumidor tem que saber o que está contratando, muita gente tem coberturas que nem sabe e acaba não usando algo pelo que tem direito”, conta Ney Dias.

Comentário:

O desconto no seguro por ter um rastreador próprio não irá cobrir as suas despesas com o mesmo, ou seja, somente vale a pena se a seguradora “emprestar” (contrato comodato) o rastreador para o segurado.

O APP é somente para passageiros do veículo segurado, onde geralmente o valor contratado é dividido pelo número de passageiros que comportam o veículo limitando assim o valor segurado por passageiro. É um sistema de reembolso se utilizado o atendimento no particular, ou seja, comprovar todos os custos com notas fiscais.

O mais importante é ter um corretor de confiança que tire todas as suas dúvidas, contrate de forma extremamete correta e que no pós venda esteja presente para auxiliá-lo em caso de um sinistro.

Nos dias 23 e 24 de outubro, das 9h às 17h, quem comparecer à unidade HDI Bate-Pronto de Salvador (BA) terá direito ao reparo gratuito do para-brisa de seu veículo, independentemente de ser um segurado da HDI.

O reparo — que obedece às especificações técnicas e às normas internacionais de segurança automotiva — será feito em cerca de 20 minutos e manterá a originalidade da instalação do para-brisa, evitando a troca.

Ao todo, serão feitos 60 atendimentos (por ordem de chegada). Serão distribuídos 30 vouchers por dia para quem não puder aguardar o atendimento no local.

O serviço só é feito em para-brisas que tenham condições de reparo — se a análise técnica detectar necessidade de troca do para-brisa— é feito orçamento à parte. Além disso, serão distribuídos vouchers de desconto para aplicação de insulfilme e película anti-vandalismo.

A Central HDI Bate-Pronto de Salvador está localizado à Av. Antonio Carlos Magalhães, 4655 – Parque Bela Vista.

Fonte: Revista Cobertura

“Viramos o ano passado com a taxa de juros de dois dígitos, por volta de 12%, e este ano estamos em 7,5%. Esse é um momento histórico, não só para a indústria de seguros, mas também para a economia brasileira”, comentou Hyung Mo Sung, CEO de Seguros Gerais da Zurich Seguros, durante Tribuna Livre realizada pela Câmara dos Corretores de Seguros do Estado de São Paulo.

A redução da taxa de juros no Brasil – hoje real em 2,8% e similar à do restante do mundo – representa um desafio ao ramo de seguro automóvel, uma das maiores carteiras do mercado segurador. “O automóvel se mantém hoje porque as grandes empresas têm papéis de longo prazo. A que não tiver, terá de mexer. E não só em automóvel, em todas as carteiras”, destacou o presidente e CEO da Chubb Seguros, Acacio Queiroz, em palestra do Meio-Dia promovida pela APTS.

Além da redução da taxa de juros, para as seguradoras que atuam no ramo o primeiro semestre foi difícil também devido ao aumento da sinistralidade. Diante desse cenário, os executivos preveem que haverá a elevação das tarifas de automóvel.

“Não se assustem com o movimento de reduzir despesas, aumento de tarifas, ou então não se remunerará os acionistas. O mercado passará por uma modificação bastante profunda”, disse Acacio. “A indústria vai ter que mudar e trazer o índice combinado para baixo e para isso só tem duas formas: a indústria sendo mais eficiente e a cobrança do preço adequado para a sinistralidade”, acrescentou Hyung. (Carol Rodrigues).

Estratégia de expansão visa incrementar atuação no mercado segurador baiano que, só no primeiro semestre do ano cresceu 42,7% e atingiu 1,9 bilhão em Prêmios Diretos

São Paulo, 27 de Setembro de 2012 – A  Marítima Seguros, uma das maiores companhias de seguro do Brasil, acaba de inaugurar sua nova unidade do Marítima MAR – Marítima Atendimento e Relacionamento na capital baiana. A iniciativa faz parte da estratégia de expansão nos estados do Nordeste e consolida os planos da companhia de intensificar sua atuação no varejo.

Com a nova unidade, a Marítima pretende incrementar a atuação no estado da Bahia em segmentos como os de Automóveis, Ramos Elementares (seguros Residência, Condomínio, Responsabilidade Civil, Engenharia e outros) e Pessoas. A Marítima está entre as líderes do mercado em algumas modalidades de seguros, a exemplo de ramos como Empresarial, Residencial, Condomínio, Penhor Rural e Benfeitorias. 

Crescimento no Nordeste

A unidade de Salvador é a terceira do Marítima MAR. Em julho, a companhia inaugurou as primeiras unidades de Natal (RN) e João Pessoa (PB) que, junto com as filiais Fortaleza (CE) e Recife (PE), atualmente trabalham para dinamizar os investimentos e buscar novas oportunidades no mercado segurador da região, que vem crescendo exponencialmente. Segundo dados da Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), só no primeiro semestre do ano, os nove estados da região alcançaram R$ 5,8 bilhões em prêmios diretos, cerca de 37,2% a mais do que o mesmo período no ano passado.

A Bahia é responsável por cerca de 32% do faturamento do mercado de seguros na região e o sétimo do país. No primeiro semestre deste ano, o Estado foi responsável por cerca de R$ 1,9 bilhão em prêmios diretos, o que representa um crescimento de 42,7% em relação ao mesmo período de 2011.

Fonte: SUSEP

A Superintendência de Seguros Privados (Susep), através da Procuradoria Federal vinculada ao órgão, obteve mais uma vitória contra a venda irregular de seguros realizada por associações e cooperativas. A Justiça Federal de 1º em Minas Gerais ordenou que a Associação de Automóveis e Veículos Pesados (Auto-Truck) se abstenha imediatamente de comercializar, ofertar, veicular ou anunciar, por qualquer meio de comunicação, qualquer modalidade de seguro em todo o território nacional.

A decisão proíbe que a associação angarie novos consumidores, bem como renovar os contratos atualmente em vigor. Apena, caso não cumpra a decisão, é de R$ 10 mil para cada evento contido na pena. A Justiça determinou que a entidade suspendesse a cobrança de valores de seus associados, a título de multa no valor de R$ 10 mil por unidade.

A associação terá de encaminhar a todos os seus consumidores, no prazo de dez dias, correspondência comunicando o teor da decisão, além de publicar em site (caso haja) e em jornal de circulação nacional ou em veículo publicitário de âmbito nacional o teor da decisão liminar. Caso não cumpra esta medida, receberá multa diária de R$ 10 mil.

Fonte: R7

Confederação Nacional das Empresas de Seguros diz que fraudes crescem a cada ano.

De cada dez indenizações pagas por seguradoras no Brasil, pelo menos uma está relacionada a golpe. Segundo a Confederação Nacional das Empresas de Seguros, o número de fraudes comprovadas cresce a cada ano.

Só em 2011, as seguradoras pagaram R$ 14 bilhões em indenizações. Deste total, R$ 1,3 bilhão tinham suspeitas de fraudes.

Um caso recente, ocorrido em São Paulo, ilustra esta realidade. Um casal confessou ter forjado uma história de sequestro-relâmpago para obter o dinheiro do seguro do carro. Os dois foram indiciados por incêndio criminoso, estelionato e falsa comunicação de crime. Ao colocar fogo no veículo, o homem  teve 12 % do corpo queimado acidentalmente.

Ele acabou revelando a farsa depois que a Polícia Civil começou a investigar o caso e a descobrir falhas na versão apresentada pelo casal.

O golpe aconteceu no bairro do Capão Redondo. Ao ser interrogada pelos policiais sobre os locais por onde os criminosos passaram durante as quatro horas que teriam permanecido com os reféns, a mulher ficou nervosa e entrou em contradição. O namorado acabou confessando que queria receber o dinheiro do seguro para comprar um carro mais novo.

O rapaz e a namorada vão responder ao inquérito policial em liberdade, mas podem cumprir pena de até oito anos de prisão, caso sejam condenados.

A cidade de São Paulo passou a contar com mais uma unidade do Bradesco Auto Center (BAC), a 7ª na capital. O centro automotivo, localizado junto à nova Sucursal da Bradesco Auto/RE na Lapa, oferece aos clientes da Seguradora uma série de serviços como: atendimento a sinistros auto, retirada de carro reserva, instalação de equipamento antifurto, vistoria prévia, reparos ou trocas de vidros, locação de automóveis e emissão de segunda via de boletos, tudo isso em ambiente confortável e moderno.

Todos esses serviços podem ser agendados pelo site www.bradescoautocenter.com.br ou por meio da Central de Relacionamento: 4004 2757 (capitais e regiões  metropolitanas) ou 0800 701 2757 (demais localidades).

 

Atualmente há BACs localizados em diversas cidades do Brasil como Belo Horizonte (MG), Campinas (SP), Curitiba (PR), Goiânia (GO), Joinville (SC), Natal (RN), Osasco (SP), Porto Alegre (RS), Ribeirão Preto (SP), Santo André (SP), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Vitória (ES).

Em todo o Brasil, as unidades do BAC atendem de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

Bradesco Auto Center Lapa
Endereço: Rua Roma, nº 136, Lapa, São Paulo/SP
CEP: 05050-090
Tel: (11) 3670-1220

Fonte: Dorival Alves de Sousa

Não satisfeitas com os ganhos financeiros conquistados com as adesões e mensalidades cobradas para administrarem um  determinado grupo de associados que, muitas vezes, acreditam estarem adquirindo uma apólice de seguro, as associações e cooperativas que comercializam o propalado Seguro Pirata estão buscando, na Justiça, enriquecimento indevido com a
propositura de ações em desfavor das pessoas consideradas responsáveis pelos acidentes automobilísticos causados aos veículos dos associados.

Em  primeiro lugar o que precisa ficar claro é a interpretação sob o prisma  judicial de que, quando da ocorrência de um acidente automobilístico, o  assunto é tratado como responsabilidade civil extracontratual, de forma  que a responsabilidade civil pode ser pleiteada pela vítima do veiculo danificado em face da conduta do outro veiculo causador e responsável
pelo acidente.

Para uma melhor interpretação do que estou sinalizando basta verificar que a associação não tem nenhuma relação com
o evento danoso, o que não lhe dá legitimidade para exigir o pagamento da indenização.

O simples argumento de que a associação arcou com os prejuízos do associado e busca a reparação do dano como
sub-rogada não pode prevalecer. Isso porque, nos termos do artigo 346, inciso III do Código Civil, sub-roga-se de pleno direito àquele que paga  a dívida pela qual era ou podia ser obrigado. Não é esse o caso das associações, pois não são elas que pagam os prejuízos sofridos pela vítima. Todos os prejuízos são rateados entre os associados.

Como  os dirigentes das associações não têm como comprovar o pagamento dos prejuízos opta por apresentarem tão somente orçamentos de mera avaliação  do custo para reparação das avarias dos veículos de seus associados.

Vale destacar também que, nos estatutos das associações pesquisadas, não consta qualquer previsão para que os dirigentes dessas associações assumam os prejuízos dos associados e atuem como uma empresa seguradora.

Ademais,  não cabe aos dirigentes das associações atuarem como substituto processual do associado envolvido em acidente, reconhecendo desta forma a  sua ilegitimidade.

Dorival Alves de Sousa. Corretor de seguros, advogado e presidente do SINCOR-DF

Encarar um longo engarrafamento é um dos piores e, ultimamente, mais comuns males do cotidiano das grandes cidades. E, para ajudar o motorista a evitar esse tipo de contratempo, a Allianz Seguros ampliou as funções de seu aplicativo para iPhone.

Agora, esse valioso serviço passa a agregar o monitoramento em tempo real do trânsito em 20 cidades do país, além de rodovias, para auxiliar o motorista na hora do rush.

Assim, em um só lugar, o usuário pode visualizar câmeras das estradas e a situação do trânsito nas grandes cidades.

O Allianz Cliente está disponível gratuitamente na App Store para qualquer pessoa que tenha iPhone e iPad.

Os segurados da companhia têm direito ainda a obter informações sobre toda a rede credenciada de oficinas e a rede referenciada de Saúde da companhia.

O serviço de condição de tráfego está disponível para quem circula pelas seguintes cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Recife, Salvador, Goiânia, Cuiabá, Brasília, Porto Alegre, Fortaleza, Barueri, Diadema, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Osasco, Guarulhos e Vitória.

A Bradesco Auto/RE está lançando o Bradesco Seguro Primeira Proteção Veicular, que, apenas neste primeiro momento, será exclusivo para segurados que tenham conta corrente no Bradesco (pessoas físicas).

O produto oferece Assistência Auto Dia e Noite, incluindo serviços tais como reboque em caso de pane, acidente e incêndio, além de chaveiro e socorro mecânico para pane seca, entre outros. “Esse seguro é voltado para veículos de passeio e picapes leves nacionais com até 10 anos de uso. Foi desenvolvido para proprietários de veículos que não contratam o seguro compreensivo, mas que necessitam de serviços de assistência dia e noite e cobertura para danos contra terceiros”, explica o diretor da seguradora, Marco Antonio Gonçalves, acrescentando que o segurado também poderá obter descontos especiais em produtos e serviços, inclusive automotivos, oferecidos pelo Clube do Segurado, em diversas lojas no Brasil e pela internet.

Outra vantagem é que, ao contrário do seguro compreensivo, que requer informações mais detalhadas do segurado e possui variação de preço conforme o perfil do segurado, veículo, região, entre outros fatores, além de vistoria do veículo, no novo produto a contratação é simplificada, sem vistoria do veículo e perfil do condutor ou segurado.

O preço é fixo: R$ 499,50. Esse valor pode ser dividido em dez parcelas, sem juros, por meio de débito em conta corrente. “Pensamos em uma prestação que caiba no bolso do grupo de clientes com potencial para a compra do produto”, revela Marco Antonio Gonçalves.

Marco Antonio Gonçalves lembra que, apesar do aumento da renda da população, boa parte da classe C ainda não dispõe de recursos para contratação do seguro total do veículo. “Dessa forma, é necessário dispor de um produto específico que possibilite a entrada deste público no mercado de seguros, oferecendo a proteção da Assistência Dia e Noite, que é bastante utilizada nos seguros compreensivos de veículos”, observou.

Além disso, mesmo se o segurado trocar de veículo, respeitando-se o limite de 10 anos de uso, ou mudar de endereço durante a vigência do seguro, ele não terá uma surpresa negativa com aumento de custo.

Além dessas vantagens, o produto contempla coberturas para danos materiais (R$ 30.000), corporais (R$ 30.000) e morais (R$ 5.000).

A Porto Seguro inaugura novo Centro Automotivo em Maceió. De acordo com os profissionais da unidade (localizada na Av. Julio Marques Luz, 618 – Bairro Jatiúca), o ideal é que esses reparos sejam feitos por pessoas e estabelecimentos qualificados.

“Um bom mecânico é sempre o profissional mais indicado para fazer as revisões de que o veículo precisa, mesmo as mais simples. Também é importante que o proprietário esteja atento às condições do local onde deixa o seu veículo”, comenta Marcelo Sebastião, diretor de Auto da Porto Seguro. “O conceito dos Centros Automotivos Porto Seguro atende essas duas necessidades: oferece a assistência de profissionais qualificados em um estabelecimento que é referência em seu ramo de atuação”, completa.

O Centro Automotivo Porto Seguro atende segurados Auto da Companhia, que contam com serviços gratuitos ou com condições especiais de pagamento; e também motoristas não segurados. Saiba mais sobre as principais revisões que devem ser feitas regularmente nos veículos:

Estepe – é preciso calibrá-los mensalmente. Informações sobre a calibragem correta dos estepes podem ser consultadas no manual do veículo;

Pneus – também precisam ser calibrados todos os meses. Já o rodízio dos pneus deve ser feito a cada 10 mil quilômetros rodados, durante o alinhamento e balanceamento do veículo.

Suspensão – deve ser revisada a cada 5 mil quilômetros. E os amortecedores, substituídos a cada 40 mil quilômetros;

Freios – o sistema de freios precisa de revisão a cada 5 mil quilômetros. Também é importante verificar o desgaste das peças mecânicas e hidráulicas;

Fluído de freio: também é importante estar atento aos cuidados com o reservatório do fluído de freio, que deve ser mantido bem fechado. Quando o nível do fluído de freio precisa ser completado constantemente, é sinal de que pode haver vazamento no sistema e até a possibilidade de perda do freio do carro. Vale lembrar ainda que o fluído de freio deve ser substituído a cada 12 meses ou quando o veículo completar cerca de 10 mil quilômetros rodados, a fim de evitar oxidação e outros danos ao sistema de vedação dos freios, o que pode provocar vazamentos;

Motor – a quilometragem de manutenção das correias, rolamentos e sistemas de arrefecimento varia conforme o modelo do veículo. A quilometragem da troca de cada veículo está expressa em seu manual. Consulte um profissional especializado que poderá realizar a verificação dos itens;

Óleo – o nível do óleo do motor precisa ser verificado semanalmente. A quilometragem de substituição do óleo e filtros varia entre 5 mil e 10 mil quilômetros, de acordo com as especificações do fabricante do automóvel;

Bateria – deve ser revisada a cada 6 meses, assim como a inspeção visual e a limpeza dos polos da bateria, para evitar o acúmulo de zinabre;

Direção – o alinhamento da direção precisa ser feito a cada 10 mil quilômetros e quando o carro passar por buracos ou chocar-se com guias.

Ao todo, a Porto Seguro possui mais de 100 Centros Automotivos próprios, em diversas regiões do País.

Serviço:

Centro Automotivo Porto Seguro – Maceió (AL)

Endereço: Av. Julio Marques Luz, 618 – Bairro Jatiúca

Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h15 às 17h30, e aos sábados, das 8h às 12h

Informações: (82) 3325-2288 / 2299

Fonte: meuadvogado.com.br

O que significa Carro Clonado? É o mesmo que carro Dublê?

R: A expressão Carro Clonado significa a existência de dois carros idênticos: mesma placa, mesma cor, mesmo modelo. As expressões: Carro clonado e carro dublê possuem o mesmo significado.

Como e quando sei que meu carro foi clonado?

R: A maneira mais simples de identificar se seu carro foi clonado, ou seja, se existe outro dublê, são com as multas. Geralmente o proprietário do veículo recebe diversas notificações de atuações de infração de trânsito que não cometeu, pois não estava no local/hora na data da infração.

Meu carro foi clonado, o que devo fazer?

R: A primeira atitude a ser tomada é procurar o Distrito Policial mais próximo de sua residência e requerer a lavratura de um Boletim de Ocorrência para comunicar a existência do carro dublê e, em seguida instaurar um procedimento administrativo junto ao DETRAN requerendo a busca e apreensão do carro dublê e a troca da placa do seu veículo.

Preciso de advogado para dar abertura ao procedimento administrativo?

R: Não.

Existe alguma portaria do DETRAN que disciplina este assunto?

R:Sim, a portaria do DETRAN Nº 1244 de 2000 em seu artigo 3º elenca os documentos necessários que devem acompanhar o pedido de substituição de placas de identificação de veículos automotores, e, a portaria DETRAN 1239 de 2008 esclarece que o pedido deverá ser encaminhado para o DIRETOR DA DIVISÃO DE REGISTRO e LICENCIAMENTO DE VEÍCULOS ou as AUTORIDADES que dele receberam delegação.

Quanto tempo demora um procedimento administrativo para a troca/substituição da placa?

R: O tempo é indeterminado, infelizmente pode demorar até mais de 4 anos.

Existe alguma forma para agilizar a troca da placa?

R:Sim, judicialmente. Nesta hipótese o proprietário deverá contratar um advogado para que o mesmo, após a abertura do procedimento administrativo e a morosidade para a troca efetiva da placa, impetre um MANDADO DE SEGURANÇA, na FAZENDA PÚBLICA, requerendo a troca imediata da placa em face do DIRETOR DO DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DO ESTADO DE SÃO PAULO

O que devo fazer com as multas?

R: Após a abertura do processo administrativo seu carro passará por uma vistoria na SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA- DILI, que atestará que o veículo periciado não possui sinais aparentes de adulteração. Para cada multa recebida o proprietário deverá anexar junto a mesma cópia da vistoria e protocolar recurso informando a existência de carro dublê. Porém, o proprietário também deverá anexar cópia do recurso protocolado no processo administrativo existente.

É possível vender um carro clonado?

R: Sim, mas neste caso após a abertura do processo administrativo qualquer alteração no documento do carro deverá ser feita no próprio DETRAN pois, o documento fica com anotação de restrição.

Quais os riscos que o proprietário do carro clonado pode sofrer?

R:O proprietário do carro deve evitar ao máximo se locomover com o veículo, pois pode ser parado em blitz policial e ser confundido com criminoso. Por isso, recomendo, sempre, que o proprietário nunca saia com o veículo sem cópia do Boletim de Ocorrência que informa a existência de carro dublê.

Existe alguma taxa a ser paga?

R:Sim, para a efetiva troca de placa o proprietário deverá pagar duas taxas e preencher um formulário de renavan, além de outros procedimentos administrativos.

Fonte: Exame

A pedido da exame.com, a CNSeg revelou quais foram os modelos com maior incidência de roubos em termos relativos, entre os 19.987 carros roubados no mês.

O resultado desta lista não se refere ao número de roubos em termos absolutos, mas sim aos modelos que tiveram maior índice de roubo em relação ao tamanho da sua frota. Assim, é possível observar quais são os carros preferidos dos ladrões, sem que os modelos com maiores frotas fiquem sempre à frente.

Em termos relativos, não são os carros populares – com mais exemplares em circulação – que figuram entre os mais roubados, mas sim modelos menos vendidos, mas que costumam enfrentar maior dificuldade para reposição de peças. O alto custo da peça é o primeiro fator para o carro ser roubado. O segundo é a disponibilidade dessa peça. Como uma peça original costuma ser cara nas concessionárias e pode demorar a chegar, alguns motoristas buscam a peça no mercado paralelo, o que contribui para um aumento de roubos.

No total, foram roubados 19.987 carros no mês de junho, o que significa uma incidência de quatro roubos ou furtos a cada 10.000 carros circulantes.

1º lugar: Fiat Punto
Quantidade de roubados/furtados: 94
O Fiat Punto carrega como itens de série computador de bordo, faróis de neblina, Fiat Code, sistema Follow Me Home, párabrisa degradê, vidros escurecidos nas laterais e vidros elétricos (na dianteira) e alerta de manutenção. O fato de ser bem aparelhado pode ser um atrativo para os ladrões. Os carros que têm algum nível de acessório maior tendem a ser mais roubados até por conta de ter procura maior no mercado paralelo por essas peças.

2º lugar: Peugeot 307
Quantidade de Roubados/Furtados: 83
A alta incidência de roubos do carro pode estar ligada a dois fatores principais: a dificuldade de reposição das peças da marca Peugeot e o fato de o veículo se manter com as mesmas características por vários anos e as mesmas peças servirem em diversos modelos. “A Peugeot tem uma tremenda dificuldade de reposição das peças e o pessoal recorre ao mercado paralelo. E como as peças servem para mais de um modelo, a procura é maior. A mente criminosa procura os carros com peças mais fáceis de desovar.

3º lugar: Fiat Stilo
Quantidade de Roubados/Furtados : 85
O alto índice de roubo pode ser associado ao fato de o carro ter encerrado sua produção. “O Stilo é um carro de alto padrão, mas não tem tanto valor de mercado hoje porque saiu de linha. As peças, então, ficam cada vez mais caras em relação ao valor do carro e mais difíceis de serem encontradas. Com isso, os motoristas buscam preços mais acessíveis no mercado paralelo, pressionando os roubos.

4º lugar: Spacefox
Quantidade de Roubados/Furtados: 72
Como muitas das peças podem ser usadas em vários modelos da linha Fox, a demanda aumenta, pressionando a busca destas peças em desmanches. “Tirando as traseiras, que são diferentes, os modelos da linha praticamente não diferem um do outro. Cerca de 80% das peças servem para mais de um modelo.

5º lugar: Fiat Fiorino
Quantidade de Roubados/Furtados: 83
 O modelo é mais usado por empresas, são carros que costumam ficar mais tempo circulando, portanto ficam mais desgastados e mais expostos a riscos. “O Fiorino é muito usado comercialmente. Ele tem um alto nível de desgaste e a tendência é que ele precise de mais manutenção e de reposição de peças. E como ele fica muito tempo na rua, fica mais exposto.

6º lugar: Fiat Idea
Quantidade de Roubados/Furtados: 119
 O modelo ocupou o terceiro lugar no ranking da CNSeg de 2011, com 1.335 unidades roubadas ou furtadas em um universo de 141.283 carros, o que gerou um índice de 0,945%. Foram cerca de 9 veículos roubados a cada 1.000. “É um veículo que tem peças muito caras em relação ao valor de mercado.

7º lugar: Chevrolet Zafira
Quantidade de Roubados/Furtados: 119
Por ser um carro bastante resistente, muitos motoristas permanecem com a Zafira por bastante tempo. E, se por um lado o carro não exige manutenção com tanta frequência, por outro os anos de uso o levam à depreciação, deixando as peças proporcionalmente mais caras. Isso leva alguns motoristas a recorrerem ao mercado informal.
Com a redução do IPI para veículos, os carros novos sofreram reduções nos preços, provocando também uma desvalorização nos preços dos usados. Isso resultou em um aumento das fraudes por parte dos motoristas, que forjam roubos. O consumidor tem a sensação de que perdeu dinheiro com o carro e o abandona para receber o valor do seguro por roubo.

8º lugar: Fiat Doblò
Quantidade de Roubados/Furtados: 67
O Doblò quanto os outros carros da Fiat estão entre os mais roubados pelo fato de as peças da montadora apresentarem custo mais elevado. “O custo de reposição das peças da Fiat é alto, então o consumidor busca o mercado negro.

9º lugar: Citroën C3
Quantidade de Roubados/Furtados: 153
A dificuldade em se obter peças da Citroën é o principal fator de influência no alto índice de roubo. “A própria concessionária tem dificuldade em repor as peças, e o cliente tem que entrar em fila de espera quando não tem seguro. A demora conjugada com a dificuldade de obtenção nas peças acabam levando o motorista a buscar desmanches ou peças não originais.

10º lugar: Renault Sandero
Quantidade de Roubados/Furtados: 161
O Sandero tem muitas versões e uma mesma peça vale tanto para o Stepway quanto para a versão mais básica, então a busca por peças no mercado é alta e os demanches buscam justamente os carros com a maior demanda.
O Renault Sandero tem sido um carro bastante adotado por empresas, aumentando o risco de roubos. “Muitas empresas adotaram o Sandero como frota, e quando o carro é utilizado por empresas, o uso é mais frequente, aumentando tanto a necessidade de manutenção e reposição de peças, quanto a exposição a roubos por ficar na rua.